Páginas

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Mais uma dos holandeses

Não conheço a Holanda, mas ela está sempre à frente de todos quando se trata de secularização - talvez por sua história. A Holanda foi um dos primeiros lugares a receber judeus e outros, que foram se integrando à sociedade. O filósofo Baruch de Spinoza, por exemplo, era holandês e de família judia, embora suas idéias de uma divindade imanente divergissem tanto dos cristãos quanto dos judeus. Um dos primeiros humanistas, Erasmo, era de Rotterdam. Seja lá o que for, não me surpreende a seguinte notícia:

Dutch pastor says he can believe in a 'God who doesn't exist'

Utrecht (ENI). A Dutch Protestant cleric who describes himself as an "atheist pastor", saying he does not believe in God's existence, has become a publishing success in the Netherlands. The Rev. Klaas Hendrikse published a book at the beginning of November entitled "Believing in a God who does not exist: Manifesto of an atheist pastor", which by the end of the month had gone into its third printing. In his book, Hendrikse tells how his conviction that God does not exist has become stronger over time. He suggests, however, that it is still possible to speak of God, but in this case it refers to the quality of a relationship rather than the existence of a divine being. [415 words, ENI-07-0964]


Fonte: Ecumenical News International

2 comentários:

Joel Pinheiro disse...

Nessas condições, rezar deve ser um tanto complicado...

Thomas H. Kang disse...

De fato... pertinente comentário!