Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2012

Mercado, mérito e rendimentos

Acho que a motivação original desse post  é o livro "What Money Can't Buy" de Sandel. Na minha opinião (e na de muitos outros), um livro bastante inferior ao "Justice". Em particular pelos crassos erros econômicos ao longo da análise: só para dar um exemplo, no começo do livro, Sandel já conceitua errado o termo "eficiência". Não obstante a crítica a eficiência como único ou mais importante critério moral deva ser feita, a fonte correta para isso não é Sandel.
Por essa razão também, ao invés de ler Sandel, nosso grupo de Justiça e Desenvolvimento resolveu ler um outro texto. A Daniela Tocchetto sugeriu um texto do Sen de 1985, "The Moral Standing of the Market" da Social Philosophy & Policy, 2, Spring. Nesse texto do Sen, encontramos talvez vários motivos para (i) entender que o mercado de fato é importante, mas também (ii) que existem várias razões para questionar alguns resultados trazidos pelo livre mercado. Além da tradicional crític…

Métodos quantitativos: tem que ser bem feito

Embora métodos quantitativos como a econometria não possam ser aplicados  de forma satisfatória em todas as pesquisas, a rejeição total aos métodos quantitativos é absurda. Assim como também é absurdo o endeusamento desses métodos. Muitas vezes, por conta desse excessivo entusiasmo, rodam-se muitas regressões por aí sem pé nem cabeça - e sem as devidas ressalvas ou o reconhecimentos dos possíveis problemas que há nos resultados encontrados.

Tenho estudado recentemente um pouco da econometria que não tinha estudado no mestrado. Eu nunca tinha estudado profundamente os dados em painel, embora eu soubesse o básico sobre o tópico. Utilizei um modelo de efeitos fixos para dados em painel na minha dissertação, acreditando nos livros de graduação. Acredito que a minha crença era correta, mas certamente os problemas de identificação que tive não poderiam ser resolvidos sem maior conhecimento das hipóteses de modelos de efeitos aleatórios, fixos e de primeira diferença. E até agora não foram r…

Adeus, Hirschman

Exit, Voice and Loyalty é realmente um baita livro. Valeu, Hirschman.
Justa homenagem feita pelo Marginal Revolution.
Uma minúscula biografia pode ser encontrada aqui.