Páginas

terça-feira, 19 de junho de 2007

Livro sobre crescimento e distribuição

Hoje pela manhã, o ex-reitor da USP e professor da FEA, Jacques Marcovitch, lançou um livro por ele organizado. Embora seja um professor do departamento de Administração, o título do livro chama-se Crescimento Econômico e Distribuição de Renda e conta com a participação de vários economistas.

Os co-autores compareceram, à exceção de Márcio Pochmann. Todos eles falaram um pouco da sua parte do livro, mas o que mais me chamou atenção foi o que falaram Mirela de Carvalho e Ricardo Paes de Barros do IPEA. Na breve explanação deles, o capítulo que escreveram trata de uma proposta efetiva para diminuição maior da pobreza usando a base informacional bem-sucedida do Bolsa-Família. Os autores destacaram que o sucesso do Bolsa-Família no combate à pobreza e na melhora bastante efetiva que o coeficiente de Gini vem apresentando desde 2001, deve-se à base informacional, a qual de fato identifica os pobres. Antigamente, os mais pobres não eram identificados por não terem registro algum. Hoje, a Caixa Econômica Federal sabem quem são eles e consegue entregar os R$ 60,00 para as pessoas que realmente necessitam, embora haja, é claro, alguns pilantras que se aproveitam. Mas a grande maioria é de fato pobre.

A proposta dos autores é, portanto, utilizar essa base informacional para que, além de dar o peixe, ensine-se a pescar, como diz a expressão. Para que as familias não se tornem dependentes desses R$60, os autores disseram que oferecer também um pacote de oportunidades é a saída mais efetiva para essas famílias. Os diversos programas sociais do governo federal já existentes deveriam ser oferecidos junto com esse auxílio financeiro. Como são programas consolidados, não haveria aumento no gasto público e haveria uma focalização do gasto, tornando-o mais efetivo.

Não li o paper, estou apenas resumindo o que ouvi. Mas me pareceu um trabalho muito interessante. Um bom caminho para melhorar a situação distributiva que perversamente esteve abraçada à nossa sociedade desde a colonização.

Não vou deixar de mencionar que outros economistas como Troster, Maria Heleza Zockun e Seroa da Motta também ministraram boas palestras. Além disso, a arquiteta Márcia Westphal também mostrou um ótimo trabalho.

Um comentário:

suzie kang disse...

olá, brother-in-blood! heheh... Vim visitar seu blog! heheh...nao vou deixar nenhum comentario, apesar de ter lido o textinho, pq, como tu sabes, não entendo muito sobre fenomenos economicos e sociais, apesar de que me façam refletir...
prometo nao vir aqui encher o saco com baboseiras, já que parece um blog serio.... ehehe
bjos