Páginas

domingo, 11 de novembro de 2007

Comida ou ética?

Muitos, ao interpretarem Marx, entenderam que o material se sobrepunha ao ideal: cultura, crença e valores seriam resultados que derivariam da infra-estrurura da sociedade, ou seja, das condições materiais. Vários outros marxistas dirão que isso é equívoco, pois não está muito de acordo com a dialética. Seja lá qual for a interpretação correta, a relação unidirecional do material ao ideal ficou conhecida. Giannetti faz uma crítica meio óbvia e que parece razoável:

[...] vale notar, a falácia grotesca da fórmula brechtiana, ingenuamente materialista, "primeiro a comida, depois a ética". A sobrevivência, é verdade, é condição para tudo o mais. Mas, sem ética, a própria sobrevivência fica comprometida. Sem ela, não há ordem social, paz ou "comida" - há desagregação, guerra e fome. É a economia que se ergue sobre a infra-estrutura ética. (Giannetti, 2007, p. 101).


Giannetti, E. Vícios privados, beneficios públicos? A ética na riqueza das nações. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

4 comentários:

Thiago F. Andreis disse...

Opa, tudo bem?

Só acho que temos que cuidar uma coisa: ao dizer que "É a economia que se ergue sobre a infra-estrutura ética", ele dá uma idéia de que essa infra-estrutura estaria pronta e seria estanque, e sobre ela se desenvolveria uma economia.
Parece lógico que uma economia se desenvolva a partir de uma infra-estrutura ética, há uma constante modificação tanto numa esfera quanto na outra, inclusive com elas se influenciando mutuamente. Neste excerto a idéia que o autor passa é que não percebe o processo como dinâmico. Acredito que ele traga essa noção em outras páginas.

Abraço!

Thomas H. Kang disse...

Concordo contigo, Thiago. Achei, no entanto, a critica interessante pois em nenhum momento ele fala em Marx nesse parágrafo. Mas acho que está bastante claro.

Ricardo Agostini Martini disse...

Esses autores que pesquisam o papel da ética na economia procuram encontrar algum perfil ético-institucional ótimo para todas as economias e todas as sociedades, ou procuram esudar as correlações e influências de uma sobre a outra, já suponda que cada sociedade organiza-se sobre bases culturais distintas?

Fiquei curioso com a discussao!

Thomas H. Kang disse...

acho que a pesquisa ainda é incipiente no campo, cara. Mas tratando-se de pessoas como Giannetti e Sen, é difícil esperar que eles estejam procurando otimizar a ética através de alguma função da ética. Ainda não li todo o livro do Giannetti, cujo capítulo final chama-se 'Ética como fator de produção'. Talvez daí eu possa dizer algo mais.

abraço!