Páginas

domingo, 1 de janeiro de 2012

Entrevista com Javier Sarriera


Pedimos desculpas aos leitores pelo atraso do post. Este que vos escreve estava em um local afastado de Canela sem acesso à internet desde sexta, comemorando o Ano Novo com amigos e ex-colegas. Entre eles, o Javier, ex-colega de graduação em Economia e hoje trabalhando em projetos com o Banco Mundial em Washington, D.C. Como é uma experiência interessante, achei que seria oportuno uma entrevista com ele. Abaixo então, uma pequena entrevista com o economista Javier Morales Sarriera do Banco Mundial na praça de alimentação do Bourbon Shopping de São Leopoldo, a caminho de Gramado/Canela:

Oikomania: Qual é o seu cargo no Banco Mundial (BM)?
Javier: Junior Professional Associate
O: Quais são suas atividades principais lá?
J: Auxiliar em projetos de assistência técnica para governos da América Latina.
O: Em que projetos você está envolvido atualmente?
J: Um deles é a análise dos melhores usos econômicos das áreas revertidas ao Panamá pelo governo norte-americano – a Zona do Canal do Panamá. Assim, houve um contato com o BM para fazer um estudo econômico - uso em portos, armazenamento de combustíveis marinhos, de frigoríficos, parques logísticos. Eles querem saber quais áreas tem potencial e para que atividades.
Outro projeto em que estou envolvido é uma análise do estoque e da qualidade da infraestrutura em toda a América Central.  Como o BM tem acesso à base de dados e contatos com instituições locais, o meu departamento está estudando os problemas de infraestrutura em cadeias de suprimentos até eficiência dos portos, por exemplo.
O: E em que projetos você gostou de trabalhar?
J: Anteriormente eu trabalhava na área de pesquisa macroeconômica e trabalhei em projetos de multiplicadores fiscais em países em desenvolvimento, principalmente em dois papers – um deles será publicado no Quarterly Journal of Economics (em que ajudei como research assistant), que utiliza uma base de dados de empréstimos do BM a países muito pobres e pequenos. A utilização desses dados elimina problemas de identificação causados por endogeneidade , mas melhor não entrarmos em detalhes...
O: O que você precisa fazer para trabalhar no Banco Mundial?
J: Um mestrado em Economia ou áreas relacionadas a desenvolvimento, tais como engenharia ambiental, hidrologia, políticas públicas, urbanismo, etc. Além disso, é importante o networking
O: Qual é a sua formação?
J: Bacharel em Ciências Econômicas pela UFRGS e Mestrado em Economia e Finanças pelo CEMFI (Centro de Estudios Monetarios y Financieros), na Espanha.
O: Obrigado, Javier. Feliz Ano Novo.

Um Feliz 2012 aos leitores também.

2 comentários:

Anônimo disse...

Ele é espanhol?

Thomas H. Kang disse...

Ele é nascido aqui, mas o pai dele é espanhol (na verdade, catalão).