Páginas

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Clipping: Arida e Veloso

Talvez eu discorde de Pérsio Arida em um ou outro ponto, mas quem sou eu para discordar dele? Além de ser um dos pais do famoso Larida, base teórica do que veio a ser o Plano Real, Arida escreveu um dos textos mais interessantes que já li em língua portuguesa: "A História do Pensamento Econômico como Teoria e Retórica", datado de 1983(ele se encontra nesse livro homônimo, mas a versão datilografada está aqui). Acho esse um texto mais interessante que o da McCloskey sobre retórica. As contribuições de Arida, tanto no combate à inflação quanto em história do pensamento, é inegável. Aqui há uma interessante entrevista dele na Folha de São Paulo. Se o leitor é menos liberal, talvez não goste do posicionamento dele, mas repito que os escritos de Arida devem ser lidos. É sempre interessante.

O Liderau me repassou essa sobre educação: uma entrevista do Fernando Veloso no Estadão. Não costumo ler o colunista, mas me pareceu uma avaliação sem muito partidarismo. Foi uma crítica leve à atual condução da política educacional da educação básica.


ATUALIZAÇÃO: O Guilherme Tinôco me repassou novamente o link para um texto do Arida para o Piauí. Não é sobre economia, mas é sensacional. 

3 comentários:

Anônimo disse...

Kangão,

cara, vc tem que ler esse texto dele, é fenomenal!!

http://revistapiaui.estadao.com.br/edicao-55/memorias-vertiginosas/rakudianai

Abs, Tinas

Humberto disse...

Arida falando sobre HPE acerta com umas opiniões que eu tinha na graduação;

a construção do consenso na econômia consome gerações, enquanto o ensido de graduação, sendo baseado em livros-texto, acaba por estar defasado uns 15 anos ou mais. Eu falava isso p / os caras..."estamos estudando o passado; se está aqui no livro-texto, é porque já não é mais vanguarda"

mantenho minha posição de achar que a econometria será quindim da economia; a computação de massa ainda é relativamente recente. Mas hj qualquer prefeitura pequena já pode disseminar estatísticas públicas com um volume e precisão inimaginável anos atrás. Nossa geração está deixando um rastro de dados para ser vorazmente consumido pelos econometristas do futuro

Anônimo disse...

fecha bicha tudo que vc posta no seu bogas