Pular para o conteúdo principal

Tiranias (2): Coréia do Norte

Não poderia deixar de falar de meus queridos parentes. Sob a ditadura de Kim Il-Sung e agora de seu filho Kim Jong-Il, a Coréia do Norte continua um dos países mais fechados do mundo. O líder atual coleciona cavalos e possui uma piscina com ondas artificiais em sua residência. Em contraste a isso, acredito que muitos parentes meus ainda estejam lá, caso não tenham sido mortos pela repressão política ou por uma das crises de desabastecimento.

Muitas famílias, como a minha, continuam separadas desde a época da guerra da Coréia (1950-1953), que foi um dos primeiros episódios trágicos da Guerra Fria. Essa guerra foi responsável pela demarcação do paralelo 38 como fronteira entre os dois novos países criados: a capitalista Coréia do Sul, de influência norte-americana, e a comunista Coréia do Norte, com apoio da União Soviética e da China. Enquanto a Coréia do Sul tem empresas como Samsung, LG e Hyundai, a Coréia do Norte produz ogivas nucleares.

Um bom começo para dar risadas sobre a Coréia do Norte (ou melhor, República Democrática e Popular da Coréia) é visitar seu site oficial. Depois, vocês cliquem no link abaixo, onde terão informações sérias a respeito da ditadura:

Aid agencies have estimated that up to two million people have died since the mid-1990s because of acute food shortages caused by natural disasters and economic mismanagement. The country relies on foreign aid to feed millions of its people.

The totalitarian state also stands accused of systematic human rights abuses. Reports of torture, public executions, slave labour, and forced abortions and infanticides in prison camps have emerged. A US-based rights group has estimated that there are up to 200,000 political prisoners in North Korea.

[...]

But official North Korean accounts say he was born in a log cabin at his father's guerrilla base on the country's highest mountain - an event marked by a double rainbow and a new star in the sky.


Comentários

Anônimo disse…
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Enoch Filho disse…
Thomas, esse comentário aí deve ser spam, ou canal para algum vírus. Melhor deletar

;)
Thomas H. Kang disse…
Caro Enoch,

Agradeço pelo aviso.
Em breve escrevo algo (voltei de viagem do feriado). Agradeço pela visita!

Postagens mais visitadas deste blog

Lutero e os camponeses

São raros os momentos que discorro sobre teologia neste blog. Mas eventualmente acontece, até porque preciso fazer jus ao subtítulo dele. É comum, na minha condição declarada de cristão luterano, que eu sempre seja questionado sobre as diferenças da teologia luterana em relação às outras confissões. Outra coisa sempre mencionada é o episódio histórico do massacre dos camponeses no século XVI, sancionado por escritos de Lutero.
O segundo assunto merece alguma menção. Para quem não sabe (e eu nem devo esconder isso), Lutero escreveu que os camponeses, que na época estavam fazendo uma revolta bastante conturbada, deveriam ser impedidos de praticarem tais atos contrários à ordem - inclusive por meio de violência. Lutero não mediu palavras ao dizer isso, o que deu a justificativa para a violenta supressão da revolta que ocorreu subsequentemente.
O objetivo deste post não é inocentar Lutero do sangue derramado sobre o qual ele, de fato, teve grande responsabilidade. Nem vou negar que Lutero t…

Endogeneidade

O treinamento dos economistas em métodos quantitativos aplicados é ainda pouco desenvolvido na maioria dos cursos de economia que existem por aí. É verdade que isto tem melhorado, até porque não é mais possível acompanhar a literatura internacional sem ter conhecimento razoável de técnicas econométricas.

Talvez alguns leitores deste blog ouçam falar muito em endogeneidade ou variáveis endógenas, principalmente no que se refere a modelos econométricos. Se pensamos em modelos de crescimento endógeno, o "endógeno" significa que a variável que causa o crescimento é determinada dentro do contexto do modelo. Mas em econometria, embora não seja muito diferente do que eu disse na frase anterior, endogeneidade se refere a "qualquer situação onde uma variável expicativa é correlacionada com o erro" (Wooldridge, 2011, p. 54, tradução livre).

Baseando-me em um único trecho do livro do Wooldridge (Econometric Analysis of Cross-Section and Panel Data, 2 ed, 2011, p. 54-55), lis…

A busca pelo ótimo de Pareto

Depois de um jogo entre São Paulo e Palmeiras, nada melhor do que uma conversa sobre Economia. Com uma caminhada de 45 minutos pela frente, eu e meu colega Richard, um especialista em Escola Austríaca e torcedor do porco, discutimos inúmeros assuntos, inclusive o famoso ótimo de Pareto.

O ótimo de Pareto (Vilfredo Pareto foi economista e sociólogo italiano da Escola de Lausanne) é um conceito fundamental na ciência econômica. Em muitas análises, busca-se chegar nesse ótimo, o que acontece quando melhorias de Pareto não são mais possíveis. Uma melhoria de Pareto é a melhora na situação de um sem piorar a dos outros. Quando se exaurem todas as melhorias paretianas, estamos no ótimo: só é possível melhorar a situação de alguém piorando a de outrem.

A pergunta é: embora o ótimo de Pareto esteja em muitas análises na Economia do Bem-Estar, não é esse ótimo um juízo de valor arbitrário?

Evidentemente, a resposta é sim. No entanto, sabemos que poucas pessoas achariam (em princípio) ruim melhora…