Páginas

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Os problemas suíços (atualizado)

Os suíços são bastante curiosos em relação ao Brasil. Para eles, que não tem problemas de pobreza graves, a preocupação com as necessidades materiais básicas das pessoas não existe. O que os preocupa hoje são algumas formas de exclusão social. Por exemplo, uma criança pode ter problemas de convívio porque não usa roupas de marca, embora ela tenha uma boa alimentação e casa para morar. O indivíduo "pobre" na sociedade suíça trabalha muito e tem pouco tempo de lazer, mas ninguém passa fome ou é desabrigado involuntariamente.

A igualdade de poder político existente há tempos na Suiça reflete-se na atratividade do país para pessoas famosas. Michael Schumacher vive na Suiça porque ninguém o incomoda por lá pelas ruas, ele pode andar livremente. Diferentemente do que acontece na Inglaterra, onde a rainha fecha o shopping para fazer compras, aqui o presidente do país espera na fila como qualquer outra pessoa. E, embora ele seja o presidente, dificilmente alguém vai incomodá-lo.

É bastante provável que a Reforma tenha algum papel nisso. Calvino, que tinha sua base em Genebra, e Zwinglio, que tinha sua base em Zurique, influenciaram bastante o país. Bern, que está no meio do caminho, foi influenciada pelos dois reformadores. O protestantismo, com sua maior horizontalidade, possivelmente foi algo que moldou em parte o sistema político. Com isso, não estou atacando o catolicismo.

A Suiça não é perfeita, mas, de fato, eles resolveram já muitos problemas que eu gostaria de ver resolvidos no meu país também.

2 comentários:

Ricardo Agostini Martini disse...

E aí, Thomas, o q anda fazendo pela Suíça? Já conseguiu emprego na ONU, ou tá apresentando algum artigo em congresso?

"uma criança pode ter problemas de convívio porque não usa roupas de marca, embora ela tenha uma boa alimentação e casa para morar." Para ver isso não é preciso ir na Suiça, é só entrar em qq colégio particular de Porto Alegre!

Boa viagem pra ti!

Gustavo Bonato disse...

Aproveita que tu tá em Berna e visita o parlamento. Vais aprender muito sobre o sistema de governo do país. É a democracia mais democrática que eu já vi: deputados que não são remunerados, plebiscitos constantes, presidente que ocupa o cargo em esquema de rodízio.