Páginas

terça-feira, 20 de fevereiro de 2007

Visões sobre educação e desenvolvimento

A tradicional visão sobre desenvolvimento econômico considera crescimento e desenvolvimento como sinônimos. Muitos também consideram desenvolvimento como crescimento com melhora de outros indicadores.

Com relação à educação, a maior parte da literatura costuma apontá-la como algo que conduz ao desenvolvimento. A partir dos trabalhos de Gary Becker, pioneiro na análise do capital humano, a educação passou a ganhar destaque na academia. Saltos econômicos, como os dos paises dos lestes asiáticos, são entendidos como resultado do acúmulo de capital humano, como afirma Gary Becker:

The outstanding economic records of Japan, Taiwan, and other Asian economies in recent decades dramatically illustrate the importance of human capital to growth. Lacking natural resources—they import almost all their energy, for example—and facing discrimination against their exports by the West, these so-called Asian tigers grew rapidly by relying on a well-trained, educated, hardworking, and conscientious labor force that makes excellent use of modern technologies.

Uma outra visão interessante acerca do papel da educação no desenvolvimento é a de Amartya Sen. Sua visão não é oposta a de Becker, é apenas um outro ponto de vista, como mostra a seguinte passagem sobre os mesmos países do leste asiático:

The pioneering example of economic growth through social oppportunity, especially in basic education, is of course Japan. It is sometimes forgotten that Japan had a higher rate of literacy than Europe had even at the time of the Meiji restoration in the mid-nineteenth century, when industrialization had not occurred there but had gone on for many decades in Europe. Japan’s economic development was clearly much helped by the human resource development related to the social opportunities that were generated. The so-called East Asian miracle involving other countries in East Asia was, to a great extent, based on similar causal connections.*

A diferença é que, para Sen e a aboradagem das capacitações, maior nível de educação não apenas conduz ao desenvolvimento, mas também é parte do desenvolvimento. Não é por outro motivo que o IDH leva em conta indicadores sociais como alfabetização, como mostram UNDP e Wikipedia.

*SEN, Amartya Kumar. Development as Freedom. Anchor Books, 1999. p. 41.

Nenhum comentário: