Páginas

segunda-feira, 29 de março de 2010

Dawkins está certo?

Richard Dawkins, famoso biólogo evolucionista britânico, tem causado polêmica no meio religioso. Em meados do ano passado, Dawkins, autor dos livros O Gene Egoísta e Deus, Um Delírio, provocou diversas reações ao inventar um acampamento ateu para crianças - similar ao realizado por instituições religiosas.

Se alguém quiser ler algo na direção oposta aos argumentos apresentados por Dawkins, é bom começar por Alister McGrath, professor de teologia (ordenado pela Igreja da Inglaterra, pertencente à Comunhão Anglicana) e doutor em biofísica molecular por Oxford. Seu livro de resposta, chamado de "O Delírio de Dawkins", tem se tornado referência.

Admito, não li qualquer um deles, mas tenho tentado me informar a respeito. Não que debates apologéticos resolvam definitivamente algum assunto, mas podem ser de ajuda.
.

2 comentários:

Felipe Katsumata disse...

Acho que ninguém tem o poder de dizer se Dawkins está certo ou não na questão da existência divina. Mas acho que ele está errado em tentar provar para as pessoas a não existência. A religião (séria, não aqueles shows de fé) tem uma grande utilidade na vida das pessoas, mesmo que seja uma fuga da realidade, conheço pessoas que vivem melhor sendo membro de alguma igreja. A discussão sobre a existência de Deus me parece, portanto, inútil, pois em primeiro lugar não há como provar o sim ou o não, e quem não acredita não passará a acreditar mesmo com os melhores argumentos (ou vise versa). Acho que o grande problema da religião é o seu poder de tapar os olhos das pessoas, distanciá-las da realidade de mais, acreditaram que tudo, exatamente tudo só acontece por meio de mãos divinas, a religião, nesse ponto, é algo prejudicial, se torna algo como uma supesrtição.

Thomas H. Kang disse...

Felipe,
Concordo que não podemos ter provas da existência ou não-existência de Deus. Não costumo ler muito sobre esses debates, mas entendo que algumas pessoas gostam e precisam de argumentos racionais (que não provam, mas...) para sustentar suas posições. Meu intento foi apenas divulgar um contraponto a Dawkins.
Também concordo quanto ao papel prejudicial da religião quando tratada como superstição. Carregar bíblias como amuletos ou coisa parecida não fazem parte da teologia cristã em geral, mas certamente muitos a encaram dessa forma.
Até e obrigado pelo comentário!