Páginas

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Por que a Revolução Industrial foi na Inglaterra?

Foi essa a pergunta que direcionou o debate de encerramento do World Economic History Congress 2009 entre Bob Allen e Joel Mokyr. O primeiro é professor em Oxford, enquanto o segundo em Northwestern: ambos brilhantes historiadores econômicos com trabalhos sobre a Revolução Industrial. Novamente, o evento foi na Dom Kerk, a velha igreja da cidade construída no século XIII (acho eu).

Bob Allen lançou um livro recentemente sobre o tema, chamado "The British Industrial Revolution in Global Perspective", onde defende a tese de que a Inglaterra foi a pioneira por dois motivos fundamentais: o preço do carvão era mais baixo e os salários eram mais altos, levando a investimentos intensivos em capital. Tudo isso tem ver, é claro, com instituições e capital humano também.

Mokyr, por outro lado, com sua retórica, tem outros livros sobre o assunto, como este e este novo. Para Mokyr, a questão mais importante é por que teria sido na Europa - um dos países europeus chegaria de qualquer forma. O fato de ter sido a Inglaterra é importante, mas poderia ter ocorrido em outros países. As condições levantadas por Allen não eram fundamentais, não impediriam que a Revolução ocorresse em outros países europeus como Holanda, quem sabe. No final das contas, Mokyr levantou o aspecto das idéias iluministas, que certamente favoreceram a invenção. A Revolução Industrial teria sido também resultado disso e não tanto de condições relacionadas a carvão e salários - pelo menos não com a importância dada por Allen.

Allen foi mais conciso e apontou fatores causais mais claro, enquanto que Mokyr, embora tenha feito um bom discurso, não deixou claro quais teriam sido os fatores fundamentais. É difícil dizer quem tem razão. Só lendo os livros pra saber. Foi um belo debate para finalizar uma bem-sucedida semana de congresso.

***

Na manhã de sexta, antes do debate, consegui ainda bater um papo sério de 5 minutos com o Peter Lindert acerca do meu trabalho. Disse pra eu estender meu período até o Bolsa Família. Repliquei que não daria tempo devido ao prazo da minha dissertação, mas ele respondeu que é só eu tomar mais café. Resolvi não comentar sobre minha gastrite.


4 comentários:

Anônimo disse...

Acho que a resposta mais adequada ao Linder seria:
"era o que pensava em fazer durante o doutorado no exterior,para o qual estou tentando uma bolsa fullbright..." (rs rs)
Abraços,
Raphael

Anônimo disse...

Uma coisa que eu percebi no livro do Acemoglu é que ele ignora totalmente o tema política industrial. Você conseguiu descobrir a opinião dele sobre o assunto?

Eu sei que o assunto pode ser meio chato, mas infelizmente muitos governos se preocupam com isso (o brasileiro então...)

Abs

Thomas H. Kang disse...

Não tenho a menor idéia...

Guilherme disse...

não concordo!