Páginas

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Novo secretário-geral do CMI

O Conselho Mundial de Igrejas elegeu seu novo secretário-geral: Olav Fyske Tveit (Igreja da Noruega). Tveit é proeminente em uma discussão entre as igrejas acerca do tema globalização. A Igreja da Noruega tem defendido uma posição crítica a alguns aspectos da globalização, sem, no entanto, propor medidas revolucionárias ou a condenação do mercado, como proposto por documento anterior do CMI.
***
Por motivos pessoais, o ritmo de postagem desse blog vai diminuir. Estou em Porto Alegre para resolver esses problemas com a companhia de minha família. Espero em breve estar apto a postar com a freqüência usual.

2 comentários:

Alexander De Bona Stahlhoefer disse...

Mudança sempre é bom...
Gostei dos temas dos posicionamentos que o Comite Central aprovou nesta última semana, demonstram preocupação com os problemas do mundo e das igrejas.
O texto sobre economia eu achei interessante, mas me pareceu um pouco utópico, pra não dizer que é apenas escatológicamente realizável.
Conheci no Paraná algumas ações de igrejas evangelicais (Vineyard inclusive) que me surpreenderam o questio de economia solidária e promoção de justiça social.. nem na IECLB (que é tão pró-social[ista]) tinha visto projetos tão arrojados
Abraço!

JOÃO MELO disse...

Thomas, para você NÃO esquecer do BRASIL. Li a pouco, via internet mesmo, já que estou aqui no meio da selva, 200 km de Belém-PA, o caderno MAIS da FOLHA, no qual provoca debates entre a maneira de pensar a ECONOMIA. Por exemplo, para o historiador britânico Tony Judt, o mundo assiste aos últimos momentos da hegemonia dos economistas ortodoxos no debate de políticas públicas, o que não acredito. Também tem uma questão “Há alternativas, novos temas ou enfoques que devam ser incorporados ao ensino de economia?” respondida por quatro colegas com diferentes visões, mas que realmente nos faz PENSAR no que devemos MUDAR na maneira de estudar ECONOMIA. Caso você tenha interesse, deixo aqui a dica.
Um abraço de seu leitor,
João Melo, direto da selva!