Páginas

domingo, 1 de agosto de 2010

Fair trade?

Alguns leitores do blog me mandaram e-mail recentemente com perguntas. Prometo responder assim que puder.

***

Com a missão de escrever algo sobre fé e globalização, tenho me deparado com algumas coisas acerca de Fair Trade. Já tinha ouvido falar desse movimento, cujo objetivo é que certos padrões éticos sejam levados em conta no comércio, garantindo preços razoáveis e direitos humanos para todos os envolvidos no comércio.

Para os que acreditam que sempre o mercado é o melhor alocador de recursos, tal sugestão não faz sentido. Novamente, lembro que se consideramos questões distributivas, é possível que o mercado não chegue a soluções desejadas. Dessa forma, embora o mercado alcance resultados muito eficientes, o agricultor do país subdesenvolvido (principal alvo do movimento de Fair Trade) poderia possivelmente receber pouco pelo seu café, não conseguindo dar condições de vida "decentes" a seus familiares. Para "corrigir" isso, dado que damos importância a questões distributivas, necessitamos de algum tipo de intervenção.

A proposta do Fair Trade parece mais uma tentativa de conscientização, com a abertura de lojas que garantem a procedência dos produtos - que imagino serem um pouco mais caros, mas que garantem ao consumidor que são ecológicos e que respeitam o agricultor do país pobre.

Não sei mais nada a respeito. E preciso saber. E sei também que muitos já vão fazer uma cara horrível para esse tipo de movimento.

O que está em questão é que, se há consumidores que preferem pagar mais caro (que serão poucos) por isso, essas lojas podem ser abertas. O que não deve funcionar na prática é um sistema econômico inteiro baseado na suposição de que as pessoas levarão em consideração direitos humanos e tal. Mas certamente iniciativas como essa podem ter mercado e funcionar, uma vez que algumas pessoas na Europa tem aderido a esse movimento - tanto é que existem essas lojas. Pelo menos é minha posição inicial sobre o assunto.

Se alguém sabe mais a respeito, pode me mandar material. De resto, vou explorar um pouco o site do Fair Trade e ver quais são as possibilidades e limitações desse tipo de iniciativa.

3 comentários:

Renato Lauris disse...

A Starbucks na Europa já apresenta essa política de FairTrade pelo que eu saiba e que eu vi em Londres. http://news.starbucks.com/article_display.cfm?article_id=265

Mas realmente não sei muito mais que tu abordou no blog.

Acredito que isto ainda é muito incipiente e muito focalizado em países desenvolvidos.

Thomas H. Kang disse...

Vlaeu, Renato. É uma notícia bem interessante. Dizem que os grãos de café Fair Trade são bons, então a culpa deve ser do Starbucks mesmo...

PPP Lusofonia disse...

Ver oportunidades de trabalhar para o Comércio Justo no blog
PPP Lusofonia
http://ppplusofonia.blogspot.com/2010/03/trabalhar-para-o-comercio-justo-em.html