Páginas

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Dèja-vú

Estava recentemente examinando a Estatistica de Instrucção de 1916. O documento contém um bom resumo do que tentou-se fazer pela educação até então. Uma das declarações mais interessantes é a de Dunshee de Abranches:
"E' convicção geral que não é possível permanecer por mais tempo a instrucção nacional no estado miserando a que se acha condemnada, atravez da indifferença dos governos que vão se succedendo na suprema administração do paiz [...]. A triste verdade é que as creanças sahem da escola primária abominando as lettras. Nos cursos secundarios só pensam os estudantes em acabar os alinhavados preparatorios, que lhes abram as portas das carreiras liberaes. Nas faculdades superiores, finalmente, de anno a anno, se vão tornando os diplomas acadêmicos os tropheós baratos da incompetencia laureada."(Exames geraes de preparatorios, pag 31 – apud Annexos ao Relatorio do Ministerio da Justiça e Negocios Interiores, de março de 1904)
Algo mudou?

Um comentário:

Ricardo Agostini Martini disse...

Bá! Que pitoresco. Completamente diferente da atualidade.