Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2012

Congresso na Europa de História Econômica

Olhem aí!


Tenth Conference of the European Historical Economics Society (EHES)
Call for Papers

The Tenth European Historical Economics Society Conference will be held at the London School of Economics, Friday-Saturday, 6-7 September 2013.

The Conference Programme Committee consisting of Stephen Broadberry (London School of Economics), Herman de Jong (University of Groningen), Giovanni Federico (European University Institute) and Sybille Lehmann (Hohenheim University) invites proposals for individual papers on any aspect of European or global economic history covering a wide range of periods, countries and regions.

The Society encourages submissions from young scholars. There will be 10 bursaries of €500 each to help PhD students cover the costs of travel and accommodation. Further details are available on the EHES website.

For each proposed paper, an abstract not exceeding 500 words together with the institutional affiliation and e-mail address of the authors should be uploaded by 6 Februar…

Minorias e democracias

Estou recebendo boas lições de filosofia política com um livro de bolso de David Miller da coleção da Oxford. Aliás, recomendo a série. Pelo menos até agora não me decepcionaram.

Embora eu conheça o argumento antigo da "tirania da maioria", creditada à Tocqueville (segundo o que aprendi anos atrás), acabei nunca pensando mais detidamente acerca das minorias em regimes democráticos. É talvez uma questão crucial - o bom senso faz a gente pensar nisso, mas não de forma sistemática. Miller coloca bem o problema no seu capítulo sobre democracia (capítulo 3).

O filósofo coloca dois problemas que a votação por maioria pode trazer na democracia, afetando nossas noções de igualdade política:
a maioria pode ser menos afetada do que a minoria ou tem menos interesses em jogo (intense minority).um grupo é persistentemente minoritário quando rodadas de votação são feitas (persistent minority).
Como resolver isso?
garantias constitucionais de respeito a certos direitos: nesse caso, uma auto…

Instituições e a Revolução Industrial

A Revolução Industrial sempre foi um dos assuntos mais discutidos, mas continua sendo um dos  mais inquietantes da história econômica. Principalmente depois do livro "The Great Divergence" de Kenneth Pomeranz (termo cunhado por Huntington aparentemente), a história econômica tem se perguntado por que a Revolução Industrial ocorreu na Europa e não em outros lugares como a China. Mas a pergunta anterior, que se refere ao pioneirismo britânico na Revolução Industrial, ainda está em debate. Quando a causa chama-se instituições, o clássico artigo de Douglass North e Barry Weingast (1989) é sempre o ponto de partida.

Neste paper, publicado na Journal of Economic History, North e Weingast ressaltam o papel da Revolução Gloriosa de 1688, que teria mudado drasticamente as instituições no período ao diminuir o poder absoluto do rei, dando maior voz ao Parlamento e ao Judiciário, equilibrando os poderes e levando-os a cooperarem entre si. Com maior enforcement dos contratos, mercados …

Endogeneidade

O treinamento dos economistas em métodos quantitativos aplicados é ainda pouco desenvolvido na maioria dos cursos de economia que existem por aí. É verdade que isto tem melhorado, até porque não é mais possível acompanhar a literatura internacional sem ter conhecimento razoável de técnicas econométricas.

Talvez alguns leitores deste blog ouçam falar muito em endogeneidade ou variáveis endógenas, principalmente no que se refere a modelos econométricos. Se pensamos em modelos de crescimento endógeno, o "endógeno" significa que a variável que causa o crescimento é determinada dentro do contexto do modelo. Mas em econometria, embora não seja muito diferente do que eu disse na frase anterior, endogeneidade se refere a "qualquer situação onde uma variável expicativa é correlacionada com o erro" (Wooldridge, 2011, p. 54, tradução livre).

Baseando-me em um único trecho do livro do Wooldridge (Econometric Analysis of Cross-Section and Panel Data, 2 ed, 2011, p. 54-55), lis…